Notícias

Alerta: normas de segurança em salões de beleza

16-08-2016

Segundo a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), qualquer serviço de salão de beleza, barbeiros e afins deve ser independente de residências; possuir local próprio para lavagem de material; apresentar-se limpo; organizado e possuir ventilação e circulação de ar. Deve ainda manter rotina de limpeza dos pentes e escovas, dentre outros utensílios a cada cliente atendido.

As infecções mais comuns adquiridas em salões são as verrugas, causadas pelo vírus do papiloma humano (HPV), e fungos nas unhas. Ambos os problemas começam com o cliente anterior, que possui a infecção. O salão contribui com o problema ao não esterilizar corretamente os instrumentos.

Orientações

A referência técnica da Anvisa para o funcionamento dos serviços de estética e embelezamento sem responsabilidade médica esclarece, dentre outras orientações, como deve ser o manejo de instrumentos usados em salões de beleza.

Essas informações são divulgadas com o objetivo de prevenir os riscos à saúde dos clientes, como a contaminação por doenças infecciosas. Observe algumas das instruções que devem ser seguidas:

- As toalhas também devem ser lavadas a cada uso e os produtos utilizados pelo salão devem possuir o registro da Anvisa. Isto vale para esmaltes, cremes, shampoos, tinturas e maquiagens e escovas progressivas.

- Cadeiras e colchões de macas devem ser revestidos de material impermeável e em bom estado de conservação.

- Alicates, pinças, afastadores e tesouras devem ser esterilizadas após o uso.

- Ceras para depilação devem ser fracionadas em porções suficientes para cada cliente, não podem ser reutilizados sobras ou produtos químicos.

- Cadeiras, armários, macas, colchões, travesseiros e almofadas devem ser revestidos de material impermeável, resistente, de fácil limpeza e desinfecção, mantidos em bom estado de conservação e higiene.

Sindibeleza © 2017 | desenvolvido por genericapontocom